Arquivo da tag: Internet

Mapa completo dos cabos de rede submarinos do mundo

fibra_otica

Por mais que hoje em dia falemos muito na “nuvem”, a verdade é que a enorme maioria das comunicações no mundo viaja por meio de uma vasta rede de cabos submarinos de fibra óptica. Essa rede liga todos os continentes, com exceção da Antártica, levando mensagens, imagens, emojis e vídeos. A concentração de informação nesses cabos chega a preocupar o governo dos Estados Unidos.

No entanto, os detalhes dessa rede de cabos ainda são relativamente desconhecidos pela marioria das pessoas. Pensando nisso, o Telegeography elaborou um mapa completo dos cabos submarinos. Com estilo inspirado nos mapas antigos, a imagem (acima) registra ao todo 299 sistemas de cabos atualmente ativos ou em construção.

O mapa completo pode ser visto aqui. É possível visualizar também uma versão interativa e ainda mais detalhada do mapa.

Estruturas de cabos

O sistema de cabos de rede atual é uma espécie de herança dos antigos cabos telegráficos. A primeira comunicação transatlântica movida por cabos ocorreu em 1858. A mensagem de 509 letras da Rainha Victoria da Inglaterra ao presidente estadunidense James Buchanan levou 17 horas e 40 minutos para atravessar o oceano.

Atualmente, a rede de cabos submarinos possui cerca de 885 mil quilômetros ao todo. Alguns deles estão em profundidades maiores do que a altura do monte Everest (mas para baixo, obviamente). Eles são instalados por navios especiais, que depositam e “enterram” os cabos no fundo do mar, dando preferência a trajetos não-acidentados no piso oceânico.

Curiosamente, os cabos enfrentam mais ameaças em profundidades menores do que quando estão mais fundos. Próximos à superfície, eles ficam à mercê de ataques animais e de acidentes causados por atividade humana.

Segundo o Washington Post, os cabos possuem a espessura aproximada de uma lata de refrigerante nessas regiões mais rasas. No fundo do mar, no entanto, como estão sujeitos a menos fatores de risco, eles têm basicamente o tamanho de uma moeda de 25 centavos.

Fonte: [Olhar Digital]

App permite ‘ver’ sinais de Wi-Fi ao redor

architectureofradio from R Vijgen on Vimeo.

Chamado de ‘Architecture of Radio’ e criado por Richar Vijgen, o aplicativo para iPad permite visualizar os sinais ao redor a partir de torres de celulares e roteadores Wi-Fi.

No entanto, o aplicativo funciona apenas em um lugar, em uma instalação na Alemanha. Ele localiza o usuário com GPS e depois utiliza a tecnologia OpenCellID para encontrar torres de celulares próximas e prever satélites que passem pelo espaço aéreo. Além disso, ele foi programado para mapear os roteadores Wi-Fi e cabos Ethernet do espaço da exposição.

Apesar de parecer um pouco perturbador, o app mostra como as pessoas se integram ao mundo digital. O objetivo da mostra é apresentar o conceito de “infoesfera”, com todos os sinais de rádio que nos cercam.

Fonte: [Olhar Digital]

Em Portugal, ônibus e táxis se transformam em roteadores Wi-Fi

vanet

Na cidade de Porto, em Portugal, ônibus e táxis ganharam uma funcionalidade a mais e passaram a ser também roteadores de Wi-Fi. A tecnologia foi implementada pela startup Veniam.

Segundo o Mashable, mais de 600 veículos receberam a novidade, e agora, além de oferecer internet, também poderão coletar dados para ajudar a melhorar a cidade.

Por meio de sensores, é possível detectar estradas com buracos e colisões ou ainda, lixeiras que precisam ser esvaziadas. Neste último caso, as lixeiras também possuem sensores para se conectarem com os ônibus e táxis.

A tecnologia beneficia cerca de 70 mil pessoas mensalmente e já aumentou entre 50% a 80% no tráfego de usuários. A Veniam espera expandir o serviço para mais cidades em Portugal em breve.

Fonte: [Olhar Digital]

Veja como acessar sites bloqueados no Brasil

Serviços estrangeiros como Hulu e Pandora não estão disponíveis no Brasil, enquanto outros como a Netflix estão por aqui, mas possuem um catálogo diferente em outros países. A seguir, apresentamos algumas soluções para barrar os bloqueios e ter acesso a serviços indisponíveis no Brasil ou a catálogos de outros países.

Com vocês, o TunnelBear

O TunnelBear cria um túnel por onde passa todo o tráfego entre você e o site que está acessando, burlando qualquer bloqueio ou censura vigente. O seu IP verdadeiro é oculto, enquanto tudo o que o site verá é o endereço do TunnelBear, fazendo-o pensar que você está nos Estados Unidos, Europa ou algum outro país.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/dica/internet/Veja-como-acessar-sites-bloqueados-no-Brasil/#ixzz3N6Yr62Wz
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.
38008.54274-TunnelBearAssim, você poderá acessar qualquer serviço indisponível no Brasil ou navegar de forma anônima na internet. O TunnelBear também pode bloquear publicidade, scripts de rastreamento, scripts de estatísticas, botões de compartilhamento em redes sociais e tudo o que representar um risco para sua privacidade.

Para usar é muito simples, sendo este um dos programas mais amigáveis ao usuário disponíveis hoje. Basta baixar e instalar o aplicativo e ao abrí-lo, você deve criar uma conta ou fazer login. Logo em seguida, você será apresentado a uma interface bem minimalista.

Ela mostra um botão para ativar ou desativar o túnel e um menu para selecionar um servidor em alguma das regiões disponíveis, como Estados Unidos e Reino Unido. Acima dessas opções há informações sobre o plano contratado e se você está conectado. Uma vez conectado, todo o tráfego do seu computador vai passar ser direcionado por dentro do túnel do serviço.

Além disso, há uma pequena engrenagem que dá acesso às configurações. Porém, o serviço tem um limite de 500MB de tráfego para contas gratuitas. A versão paga não limita o tráfego e te deixa usar as versões para dispositivos móveis iOS ou Android.

Conheça também o Hola Unblocker

O Hola é um aplicativo para smartphones, tablets e também um complemento para navegador usado por mais de 11 milhões de pessoas, permitindo o acesso a qualquer site a partir de qualquer país.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/dica/internet/Veja-como-acessar-sites-bloqueados-no-Brasil/#ixzz3N6Z66TOr
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.
38092.54366-Complemento-do-HolaEle está disponível para Windows Phone, Android, Chrome e Firefox. Não há versão disponível para dispositivos iOS e usuários de Mac devem usar o complemento para navegador, o qual não dispõe de acelerador de velocidade. Usuários de Linux e Chrome OS também devem usar os complementos para tirar vantagem do serviço.

Como você deve ter reparado no parágrafo anterior, o Hola é um proxy que, ao contrário dos demais, não deixa sua conexão mais lenta. Em vez disso, ele acelera sua navegação nos sistemas operacionais compatíveis. É um serviço gratuito suportado por publicidade, mas para quem não deseja vê-las, pode adquirir o plano Premium.

Para usar, basta instalar o Hola no seu navegador, computador ou dispositivo móvel e acessar o site que anteriormente estava bloqueado para sua região. A tal aceleração funciona graças a uma mistura de tecnologias patenteadas, sistemas de cache, múltiplas fontes, compressão, compartilhamento peer to peer e outras técnicas.

O sistema peer to peer funciona compartilhando recursos ociosos das máquinas que usam o serviço e salvando em cache o que o usuário visita, servindo essa cópia para outros usuários do Hola nas redondezas. Graças a isso, você obtém velocidades de navegação e download mais rápidas, além de menor tempo de carregamento de vídeos.

Unblock.us é um dos melhores

Se você não se importa em pagar US$ 5 por mês, o Unblock Us é uma ótima opção para burlar qualquer bloqueio ou censura que você esteja sofrendo ao tentar visitar um site. Ele é ótimo também para quem quer ver vídeos de um serviço de streaming indisponível na sua região.

Você pode experimentar o Unblock Us por uma semana antes de escolher se deseja continuar e pagar a mensalidade. Ele funciona enganando o site e fazendo ele pensar que você está num outro país onde o serviço está disponível, sem que de fato você tenha se mudado.

Tudo o que você precisa fazer é usar os servidores DNS que ele disponibiliza. Ele tem uma página informando como configurar os mais variados dispositivos, desde smartphones até computadores, passando por televisores e consoles de vídeo game. Ele também tem uma página explicando como ver se o serviço está funcionando.

Similar ao anterior, temos o Tunlr

O Tunlr é um serviço gratuito, similar ao Unblock Us e também funciona a partir da alteração dos servidores DNS da sua máquina, roteador ou modem. É compatível com uma série de dispositivos, desde smartphones até computadores, passando por consoles de vídeo game.

Simplesmente defina os endereços abaixo nas configurações de servidor DNS da sua máquina, dispositivo ou roteador e veja se está tudo funcionando.

  • 69.197.169.9
  • 192.95.16.109

O Media Hint também é uma boa alternativa

O Media Hint é um complemento para Chrome e Firefox que permite acessar sites como Hulu, Pandora, Netflix e Rdio mesmo onde eles ainda não estão disponíveis ou bloqueados. Funciona mais ou menos como o Hola Unblocker. Para instalar o complemento, clique aqui.

Experimentem o UltraSurf

O UltraSurf é um programa que conecta o usuário ao proxy mais próximo da localização dele e criptografa tudo o que é transmitido. Desta forma, você pode navegar anonimamente na internet enquanto oculta seu IP verdadeiro, se protege em redes sem fio abertas e burla qualquer bloqueio ou censura.

Foi originalmente desenvolvido para permitir que usuários residentes na China pudessem se livrar da forte censura e monitoramento realizados na rede daquele país. Porém, acabou tornando-se bastante popular, sendo usado hoje por milhões de pessoas ao redor do mundo, mesmo em países que não realizam censura.

Para usar, basta baixar e clicar duas vezes. Não é necessário instalar nada e o programa é completamente gratuito. Não causa grande impacto na velocidade de sua navegação, é bem leve, portátil (pode ser usado a partir de um pen drive) e não requer registro algum. Você pode usar no dia a dia e acessar os sites que desejar independente do país em que esteja.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/dica/internet/Veja-como-acessar-sites-bloqueados-no-Brasil/#ixzz3N6ZTVMvS
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Não vamos esquecer do TOR

O TOR, ou The Onion Router, é uma rede distribuída de túneis mantidos por pessoas anônimas e organizações. Nenhum ponto da rede pode dizer qual o destino final que você tomou para chegar no site desejado.

Desta forma, você pode navegar anonimamente na internet sem que façam análise do seu tráfego, para descobrir de onde você veio e para onde está indo. O TOR é muito usado por quem quer privacidade, por jornalistas que querem se comunicar de maneira segura com dissidentes e denunciantes,  burlar bloqueios, censura e muitas outras situações.

O TOR também é bastante usado para acessar sites da deep web, que não podem ser abertos do jeito que estamos acostumados a fazer normalmente aqui na “superfície” da grande rede. O problema é que, para alcançar esses objetivos, o TOR acaba por deixar sua navegação um pouco mais lenta.

Ele é compatível com Windows, Mac, Linux, Android e Nokia Maemo. Todas essas versões estão disponíveis nesta página. O TOR é mais indicado mais para quem deseja o máximo de anonimato e privacidade, abrindo mão de velocidade em busca de segurança. Se você deseja apenas acessar um serviço bloqueado no Brasil de streaming, escolha uma das versões anteriores que são mais velozes e mais simples.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/dica/internet/Veja-como-acessar-sites-bloqueados-no-Brasil/#ixzz3N6Zbj7Vy
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Fonte: [Canaltech]

10 documentários que todo profissional de TI deveria ver

 

size_810_16_9_revolution-os

Além dos maiores programadores da história, vários acontecimentos marcaram a evolução da tecnologia ao redor do mundo.

E quem trabalha na área de TI sabe a importância que esses marcos tiveram para suas profissões.

Depois do surgimento dos computadores e da internet, várias histórias despertaram o interesse da sociedade e, principalmente, da indústria.

A seguir, confira a seleção da Exame com os 10 documentários que todo profissional da área de tecnologia deveria assistir, com relatos que vão desde a fundação da Apple até o vazamento de dados no WikiLeaks.

1. O triunfo dos Nerds (1996)
2. Welcome to Macintosh (2008)
3. Revolution OS (2001)
4. The Startup Kids (2012)
5. O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz (2014)
6. Google e o Cérebro do Mundo (2013)
7. Truth in Numbers? Everything, According to Wikipedia (2010)
8. Downloaded – A saga do Napster (2013)
9. Roubamos Segredos – A História do WikiLeaks (2013)
10. TPB: AFK (2013)

Mais detalhes aqui

Fonte: [Exame]

Netflix divulga ranking de banda larga no Brasil

brazil

 

O Netflix divulgou recentemente seu ranking mensal de velocidade das operadoras de banda larga brasileiras. Segundo ranking de outubro, a TIM segue como a empresa com melhor velocidade média, com 3,34 Mbps.

A GVT ocupa com o segundo lugar, com 3,28 Mbps e a NET em terceiro, com velocidade média de 2,88 Mbps. Logo após estão Algar (2,24 Mbps), Oi (1,65 Mbps) e Telefônica (1,61 Mbps).

Segundo a Netflix, uma “performance mais rápida no Netflix significa geralmente melhor qualidade de imagem, início mais rápido e menos interrupções”.

 

Fonte: [Olhar Digital]

As 25 piores senhas da internet

A quantidade de serviços diferentes oferecidos na web é proporcional à quantidade de cadastros que os usuários precisam fazer – e, consequentemente, à quantidade de senhas que eles devem lembrar. Como usar o mesmo nome de usuário e senha em diversos lugares não é muito seguro, então é normal que as pessoas tenham mais do que uma palavra-chave, que vai sendo usada em diferentes lugares.

Mas, mesmo assim, às vezes as pessoas querem apenas ver uma coisa simples em um site e precisam de uma senha. No auge do desespero, sem conseguir pensar no que colocar, o usuário acaba definindo que seu password é… “password”.

A empresa dos Estados Unidos SplashGuide separou uma lista com as 25 piores senhas que foram roubadas e postadas na internet por hackers. Elas são bastante simples e podem facilmente ser descobertas por qualquer pessoa, e vão de um mísero “password” para um “123456”, passando por palavras como “football” e combinações numéricas pouco criativas como “123123”, além de combinações com números e letras como “abc123”.

Veja, abaixo, a lista das 25 senhas menos seguras da internet. Você usa alguma delas em seus cadastros?

1. password
2. 123456
3. 12345678
4. qwerty
5. abc123
6. monkey
7. 1234567
8. letmein
9. trustno1
10. dragon
11. baseball
12. 111111
13. iloveyou
14. master
15. sunshine
16. ashley
17. bailey
18. passwOrd
19. shadow
20. 123123
21. 654321
22. superman
23. qazwsx
24. michael
25. football

Fonte: [Olhar Digital]

Erros no ambiente digital podem afetar imagem no trabalho

Se no cotidiano a boa educação recomenda que, por exemplo, se bata na porta antes de entrar, aos poucos o ambiente digital também revela as suas próprias regras de comportamento e etiqueta. A disseminação de aparelhos cada vez mais compactos que permitem acesso a e-mails e redes sociais em qualquer hora ou lugar podem fazer a pessoa cair em armadilhas, principalmente no ambiente corporativo.

O envio errado de e-mail ou um comentário maldoso sobre o chefe ou a empresa publicado no Twitter ou no Facebook, por exemplo, podem deixar a pessoa numa situação constrangedora, comprometer a reputação e a carreira e até gerar demissões. No Brasil, 70% dos executivos já enviaram e-mail errado ou copiaram algum destinatário por engano, segundo pesquisa da Robert Half, empresa especializada em recrutamento especializado.

Para 40% dos executivos brasileiros a quebra de regras de etiqueta digital prejudica muito a imagem do profissional e mais de 90% acreditam que afeta pelo menos um pouco a imagem do profissional. O estudo ainda mostra que a massificação do uso de aparelhos móveis, segundo 78,8% dos entrevistados, também fez aumentar o número de quebra de regras de etiqueta no ambiente de trabalho.

De acordo com 92,4% dos entrevistados pela pesquisa, as redes sociais são capazes de gerar negócios. Por outro lado, parte dos usuários ainda não está preparada para utilizar as ferramentas de forma profissional no ambiente corporativo. O levantamento mostra que um em cada três executivos já viveu problemas com o comportamento de funcionários em redes sociais.

A pesquisa mostra também que o LinkedIn é unanimidade entre os executivos brasileiros. Mais de 90% dos entrevistados possuem perfil na rede e 85,5% deles utilizam a ferramenta para buscar emprego. Continue lendo Erros no ambiente digital podem afetar imagem no trabalho

Provedor terá que garantir banda larga veloz

As operadoras de telefonia terão de cumprir regras mais rígidas para garantir melhor qualidade nos serviços de banda larga fixa e móvel.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou hoje índices obrigatórios de velocidade mínima e velocidade média de internet rápida para reduzir o tormento de milhões de consumidores que recebem apenas 10% da velocidade contratada.

Pelas novas regras, as companhias terão de garantir 20% de velocidade mínima e 60% de média no prazo de 12 meses, antecipou à Agência Estado o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, antes do anúncio oficial da Anatel. Dentro de 24 meses, esses porcentuais subirão para 30% e 70%, respectivamente. Em 36 meses os índices alcançarão 40% para velocidade mínima e 80% para velocidade média. Continue lendo Provedor terá que garantir banda larga veloz

Estudo mostra que pessoas revelam informações cruciais no Facebook

Um estudo conduzido pela pesquisadora romena Sabina Datcu mostrou que pessoas tendem a revelar informações absolutamente sigilosas, como endereços e senhas, a desconhecidos no Facebook – desde que acreditem que tenham algo em comum com eles. Ela realizou a pesquisa com profissionais de TI e hackers. No estudo, 81% das pessoas revelam o nome de suas mães, 78% dos hackers também o fizeram. E 7% dos hackers deram suas senhas para a pesquisadora.

Pode parecer inofensivo entregar informações familiares a desconhecidos, mas não é. Na mão de pessoas mal intencionadas, informações deste tipo podem virar recursos interessantes de engenharia social, que é uma forma de abordagem direcionada para arrancar de você, via um vírus por exemplo, informações mais sensíveis, como número do cartão de crédito e informações bancárias.

A pesquisa mostra que a discussão sobre privacidade em redes sociais, em especial no Facebook, está muito focada nos recursos da plataforma para impedir que informações confidenciais sejam aproveitadas pelo próprio Facebook ou caiam na mão de estranhos. Mas, eventualmente, o problema pode ser outro: as pessoas simplesmente tendem a não ter segredos e não fazer muita questão de sigilo.

Sabina conseguiu construir vínculos com 100 pessoas usando dois perfis falsos no Facebook. Segundo a pesquisadora, foi bastante fácil arrancar informações confidenciais destas pessoas.

Ela criou duas contas falsas como se fosse uma profissional de TI de 25 anos e passou a interagir com pessoas que tinham o mesmo perfil. Com a amizade criada na rede social com essas pessoas, Sabina foi capaz de descobrir informações pessoais, detalhes familiares e até mesmo senhas e seus endereços no mundo real.

Fonte: [Globo.com – TechTudo]