Um kit para montar seu próprio satélite

satelite

PocketQube é um satélite pessoal em miniatura usado para pesquisa espacial que, agora, está sendo vendido em kits para montagem e utilização amadora.

Com 5cm de aresta e massa de até 180 gramas, o satélite é feito a partir de componentes comuns, desses que existem no supermercado e não foram desenvolvidos para fins aeroespaciais.

O kit vendido pela empresa contém praticamente tudo o que é preciso para montar um satélite artificial em casa, tornando a experiência divertida para marinheiros de primeira viajem.

Entre os principais itens estão a estrutura do cubo, uma placa de rádio para comunicação com a base em terra e um computador de bordo que serve como estação de comando central do satélite em miniatura.

O preço do brinquedo para adultos varia entre US$ 6 mil e US$ 6.300, dependendo da configuração do aparelho e altitude que o operador deseja chegar.

 

Fonte: [Olhar Digital]

Betabrand e Norton criam roupas com bolsos que impedem ataques hackers

segrefid

Levando o conceito de tecnologia vestível ao pé da letra, a Norton criou um sistema de proteção para equipar roupas da Betabrand. A marca pretende lançar uma calça jeans e um blazer à prova de ciberataques.

As duas peças vêm com proteção certificada pela Norton: a calça em um bolso da frente (para o celular) e um bolso atrás (para a carteira), e o blazer em um dos bolsos laterais externos. Caso alguém tente roubar informações usando dispositivos com frequência de rádio ou NFC, a tecnologia impede. A proteção também vale para para cartões de crédito, passaportes, carteiras de identificação, entre outras coisas que possam armazenar informações.

Ambas estão em processo de aposta e precisam despertar interesse dos consumidores para chegar ao mercado; é como se fosse um Kickstarter, mas com valor fixo que, neste caso, dá direito a uma das peças com desconto.

O jeans já garantiu seu lançamento pois, faltando 19 dias para o fim da campanha, conquistou 144% do valor pretendido. Já o blazer está empacado nos 20%. O primeiro custará US$ 168 (está US$ 151,20 na pré-venda) e o segundo, US$ 198 (US$ 148,50).

A Betabrand pretende colocar – ao menos a calça – para vender no final de fevereiro.

 

Fonte:[ Olhar Digital]

Google lança versão 1.0 do IDE de código aberto Android Studio

672-androidstudio

Quase dois anos depois de anunciado, o Android Studio finalmente chegou à versão 1.0, sua primeira estável. Utilizado para a criação de apps para o sistema operacional móvel do Google, o IDE oficial da empresa teve a primeira prévia lançada na conferência para desenvolvedores I/O de 2013.

A plataforma é feita usando como base o ambiente de desenvolvimento integrado de Java IntelliJ IDEA, e serve como substituto ao Eclipse. De código aberto, o sistema tem como destaque um editor “inteligente”, nas palavras do Google, capaz de completar linhas de forma mais avançada, refatorar e analisar os códigos em busca de erros.

O software também traz modelos de projetos para os desenvolvedores trabalharem em cima e integração com o GitHub, para tornar mais fácil o compartilhamento. Além disso, um visualizador com múltiplos tipos de telas ajuda na hora de criar aplicativos para diferentes plataformas – smartphones, tablets, TVs, relógios e carros – e tamanhos de displays.

Fora isso, o IDE ainda permite usar a ferramenta ProGuard para otimizar o código das aplicações e dá suporte nativo ao Google Cloud Messaging e ao App Engine. Se estiver interessado em criar aplicativos para o Android, vale checar o guia básico do ambiente de desenvolvimento aqui.

O Android Studio tem versões para Windows, Mac e Linux (que podem ser baixadas aqui) e será atualizado seguindo o padrão do Chrome. Desenvolvedores terão à disposição uma versão estável (como esta 1.0) e outras três de testes: a Beta, a Dev e a Canary, sendo esta última a de uso mais “arriscado” – assim como é no caso do navegador.

Fonte: [INFO]

Tutorial: Como fazer um videogame retrô com um Raspberry Pi e controles do Xbox 360

apapreRFneUSQ

 

Ingredientes

. Um Raspberry Pi. Recomendo vivamente o modelo B+;
. Um cartão de memória MicroSDHC, de 8GB, classe 10;
. Um power outlet USB 5V de 2A. O carregador do seu celular não serve, por ser de 1A. O do iPad, por outro lado, é perfeito. Mesmo assim, é melhor comprar um específico só para o seu retroconsole. Vá ao xing-ling mais próximo de você e especifique que você quer um carregador de 2 amperes;
. Um cabo Micro USB A-B (igual ao do seu Android!);
. Um cabo HDMI (ou um cabo composto A/V 3.5mm, se sua TV não tiver entrada HDMI);
. Um teclado USB qualquer. Será útil só na configuração inicial, então pode ser emprestado de outro computador, de um amigo etc;
. Um ou mais controles sem fio do Xbox 360. Gosto de controles sem fio porque TVs devem ficar longe de sofás e cabos suficientemente compridos não são nada práticos;
. Um receptor wireless para o controle do Xbox 360. A Microsoft vende esses adaptadores para PC, mas eles funcionam no RPi também. Você encontra o receptor oficial no xing-ling por 100 reais, mas há genéricos bem mais baratos.

[Você pode optar pelo controle do PlayStation 3. Neste caso, terá de substituir o adaptador do Xbox 360 por um dongle USB bluetooth. Mas confesso que não testei e não sei como funciona; as instruções abaixo são específicas para o controle do Xbox.]

Continue lendo Tutorial: Como fazer um videogame retrô com um Raspberry Pi e controles do Xbox 360

Tutorial: Arduino e bateria: providências simples para reduzir o consumo

Uma bateria ou conjunto de pilhas podem manter seu Arduino funcionando por semanas ou meses, mas alguns detalhes no circuito e colocar o Arduino em modo de economia de energia contribuem para que a duração aumente muito.

Conectar o Arduino a algumas pilhas é bastante simples: basta respeitar os limites de tensão das especificações do seu Arduino1, e plugar o polo positivo das pilhas ao pino VIN, e o negativo ao pino GND2. O pino VIN (Voltage INput) conecta as pilhas ao regulador interno do Arduino, assim é possível ter algum grau de tranquilidade quanto às flutuações típicas das pilhas.

2014-12-07-22.37.25-2-650px-59333

Estou aprendendo mais a cada dia, e resolvi experimentar a conexão do Arduino a baterias externas, plugando uma bateria de 9V aos pinos VIN e GND, conforme mencionei acima. Continue lendo Tutorial: Arduino e bateria: providências simples para reduzir o consumo

Hora do Código – Venha você também!

 

hour-of-code-logo

Hora do Código, projeto de programação do Code.org, chegou ao Brasil nesta segunda-feira (8), com apoio do Programaê, da Fundação Lemann em parceria com a Telefônica Vivo.

A iniciativa tem como objetivo ensinar uma hora de programação básica a estudantes e outras pessoas interessadas. Os cursos gratuitos são destinados à faixa de etária de 4 a 104 anos, isto é, praticamente não existe limite de idade para começar a aprender programação.

O evento vai até o dia 14 deste mês e pretende impactar no mínimo 1 milhão de brasileiros. Na prática, a Hora do Código está disponível o ano todo, contudo, a campanha ganha maior impacto no final de ano.

Em âmbito global, a ideia é passar de 40 milhões de estudantes em 2013 para 100 milhões neste ano. Para disso, a Code.org está com um projeto no Indiegogo que pede US$ 5 milhões. Até o fechamento desta nota, mais de US$ 4,2 milhões já haviam sido alcançados com uma semana restante.

Preparatório para a Hora do Código:

Escolha um tutorial para seus alunos

  • Confira os tutoriais e escolha um para sua classe.
  • Faça o tutorial você mesmo para conseguir ajudar os alunos durante a Hora do Código.
  • Teste os tutoriais nos computadores ou dispositivos dos alunos. Verifique se estão funcionando corretamente (com som e vídeo).
  • Visualize a página de parabéns para saber o que os alunos verão quando terminarem a atividade.
  • Se o tutorial escolhido funciona melhor com som, forneça fones de ouvido para sua turma, ou peça aos alunos para que tragam de casa.

Planeje com antecedência com base na tecnologia disponível

  • Não tem dispositivos suficientes? Use a programação em duplas. Quando os alunos trabalham em duplas, eles ajudam uns aos outros e dependem menos do professor. Eles também verão que a ciência da computação é uma atividade social e colaborativa.
  • Tem baixa largura de banda? Organize-se para projetar os vídeos para a classe toda, de modo que os alunos não precisem baixar seus próprios vídeos.

Fonte:[Olhar Digital, Programaê]

Pesquisadores criam holograma que pode ser tocado

Pesquisadores do departamento de ciência da computação da Universidade de Bristol, no Reino Unido, desenvolveram um método que permite às pessoas sentir, ver e tocar imagens projetadas em 3D.

O dispositivo é formado por uma base com micro alto-falantes que emitem sons de alta frequência nas mãos do usuário e sensores que rastreiam a parte do corpo que está em contato. Na prática, o movimento e a pressão das ondas sonoras na pele criam a sensação de toque na pele.

Os desenvolvedores explicam que o sistema pode ser sincronizado com hologramas 3D para fazê-los ganhar vida. A tecnologia deve ter grande aplicação na medicina, ajudando cirurgiões a explorar tomografias e sentir tumores.

“No futuro as pessoas poderiam tocar hologramas de objetos não palpáveis, identificando, por exemplo, as diferenças entre os materiais analisados em uma tomografia computadorizada ou as formas de artefatos de um museu”, explica Ben Long, assistente de pesquisa do projeto.

Fonte: [Olhar Digital]

10 documentários que todo profissional de TI deveria ver

 

size_810_16_9_revolution-os

Além dos maiores programadores da história, vários acontecimentos marcaram a evolução da tecnologia ao redor do mundo.

E quem trabalha na área de TI sabe a importância que esses marcos tiveram para suas profissões.

Depois do surgimento dos computadores e da internet, várias histórias despertaram o interesse da sociedade e, principalmente, da indústria.

A seguir, confira a seleção da Exame com os 10 documentários que todo profissional da área de tecnologia deveria assistir, com relatos que vão desde a fundação da Apple até o vazamento de dados no WikiLeaks.

1. O triunfo dos Nerds (1996)
2. Welcome to Macintosh (2008)
3. Revolution OS (2001)
4. The Startup Kids (2012)
5. O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz (2014)
6. Google e o Cérebro do Mundo (2013)
7. Truth in Numbers? Everything, According to Wikipedia (2010)
8. Downloaded – A saga do Napster (2013)
9. Roubamos Segredos – A História do WikiLeaks (2013)
10. TPB: AFK (2013)

Mais detalhes aqui

Fonte: [Exame]

Netflix divulga ranking de banda larga no Brasil

brazil

 

O Netflix divulgou recentemente seu ranking mensal de velocidade das operadoras de banda larga brasileiras. Segundo ranking de outubro, a TIM segue como a empresa com melhor velocidade média, com 3,34 Mbps.

A GVT ocupa com o segundo lugar, com 3,28 Mbps e a NET em terceiro, com velocidade média de 2,88 Mbps. Logo após estão Algar (2,24 Mbps), Oi (1,65 Mbps) e Telefônica (1,61 Mbps).

Segundo a Netflix, uma “performance mais rápida no Netflix significa geralmente melhor qualidade de imagem, início mais rápido e menos interrupções”.

 

Fonte: [Olhar Digital]

Unesp oferece curso online grátis sobre História da Arte

historiadaarte

A Unesp está oferecendo através do site da Univesp TV, um curso gratuito online sobre História da Arte. Ele é voltado a graduandos e pós-graduandos interessados nas áreas de arte, história, pesquisa, cultura e assuntos correlatos. Também é aberto a todos com formação superior em qualquer área do saber.

Este curso de História da Arte é apresentado gratuitamente, em forma de videoaulas online, que você pode assistir a hora que quiser. Há ainda a possibilidade de fazer anotações sobre questionamentos, opiniões e dúvidas enquanto assiste o vídeo, e receberá tudo em seu e-mail.

A Univesp TV é o canal de comunicação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo, a quarta universidade pública paulista e visa ao incentivo à formação integral do cidadão.

O curso

São 09 aulas do curso regular de graduação, ministradas pelo docente José Leonardo do Nascimento do Instituto de Artes da Unesp (Universidade do Estado de São Paulo).

O objetivo do curso de História da Arte é apresentar movimentos artísticos locais dentro de uma perspectiva mais abrangente da história da arte. As aulas exploram a arte etrusca, o realismo da arte romana antiga e o diálogo com a Grécia, a arte cristã primitiva, a arte bizantina, as expressões artísticas medievais, como as Iluminuras, a arte Românica e o Gótico, até os primeiros momentos do Renascimento italiano. O professor José Leonardo do Nascimento também apresenta e analisa os principais monumentos artísticos de cada período histórico.

O curso não possui certificação. São apenas aulas online para complementação de estudos e pesquisas. É só acessar o site e começar a estudar.

Conteúdo programático

  • Escultura e pintura etruscas: vitalismo e arte tumular.
  • Roma antiga: realismo e diálogo com a Grécia.
  • Arte cristã primitiva: abstração e solenidade.
  • Iluminuras medievais: arte monástica.
  • Arte bizantina: espiritualidade e esplendor celestial.
  • Arte românica: arquitetura e relevo escultórico.
  • Arte gótica: verticalidade e luz.
  • Siena no século XIV: arte republicana e religião.
  • Florença no século XIV: da bidimensionalidade pictórica ao Renascimento.

O curso sobre História da Arte oferecido pela Unesp é mais uma dica gratuita que o Canal do Ensino traz para te ajudar a expandir a mente, pensar diferente e aumentar ainda mais seus conhecimentos.

Fonte:[Canal do Ensino]